Saúde

Outubro Rosa; o cuidado deve ser constante e o Ascoob apoia essa causa

16 de out de 2017 às 08:20 | em: Araci,Saúde

Foto: Divulgação

O cuidado deve ser constante! Um mês dedicado à prevenção e ao cuidado contínuo, nós apoiamos essa causa! Faça sua cotação em um dos nossos pontos de atendimentos. Esse tipo de seguro cobre até danos a terceiros, ou seja, se mulher estiver em um veículo e o mesmo quebrar ou parar, a segurada pode acionar o guincho pela apólice dela, em um raio de até 50 km do CEP de referência, que foi contratado o seguro! Adquira já o seu nos posto de atendimento.

SUS distribuirá novo tipo de insulina para crianças com diabete tipo um

12 de out de 2017 às 13:37 | em: Saúde

Foto: Reprodução

A partir de 2018 o Sistema Único de Saúde (SUS) passará a distribuir para crianças com diabete tipo 1 a insulina análoga, medicamento que pode reduzir o risco de complicações da doença. A expectativa é de que 100 mil crianças passem a usar o medicamento, hoje obtido por meio de decisões na Justiça. A insulina análoga é preparada a partir da biotecnologia. De acordo com o Ministério da Saúde, ela permite maior controle dos níveis de açúcar, uma vez que sua ação é imediata. O novo medicamento também tem uma aplicação mais fácil. Em vez das seringas, é usada uma caneta, que permite o reúso. “Ela traz maior conforto”, afirma o diretor do departamento de assistência farmacêutica, Renato Alves Teixeira. O valor investido é de R$ 135 milhões anuais. O produto será ofertado prioritariamente a crianças e adolescentes. Mas a previsão é de que o produto seja usado também para adultos. O processo de licitação para a compra já começou a ser realizado. Ele prevê doses suficientes para atender 250 mil pessoas, por um ano. “Toda a demanda de crianças e adolescentes será atendida”, disse Teixeira. Além do novo medicamento, a previsão é de que no próximo ano o Ministério da Saúde passe a comprar canetas para aplicação de insulina regular. A previsão é de que a licitação seja feita no primeiro trimestre e a entrega, no segundo semestre. A insulina regular é distribuída de forma gratuita nas unidades do Farmácia Popular. Como o jornal O Estado de S. Paulo adiantou, no entanto, tal distribuição poderá ser suspensa, caso não haja uma redução dos preços pagos pelo Ministério da Saúde. Para abastecer unidades básicas de saúde, a pasta desembolsa o equivalente a R$ 10. No caso da Farmácia Popular, o ministério faz o reembolso, no valor de R$ 27. “Se não houver entendimento com as farmácias, ela passará a ser distribuída na rede própria, como outros medicamentos”, afirmou.

Justiça do DF autoriza família a plantar maconha em casa para tratar filha

11 de out de 2017 às 16:31 | em: Brasil,Saúde

Foto: Reprodução

Dois casais de pais de Brasília, que já conseguiram o direito de usar canabidiol para tratarem seus filhos, se reuniram neste fim de semana na capital federal para comemorar uma decisão inédita do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. O TJDFT autorizou, na última quinta-feira, dia 5, a família da adolescente Júlia, de 16 anos, a plantar maconha medicinal na casa deles no Lago Norte, em Brasília, para tratar a jovem. A garota tem a rara síndrome de Silver-Russel (SSR) — que afeta o seu desenvolvimento desde o útero — e teve um edema cerebral aos 3 anos, após tomar um anti-inflamatório. O edema provocou uma paralisia do lado direito e a menina começou a ter convulsões e dor crônica. A família conta que Júlia chegou a ter 80 convulsões diárias, e uma das crises foi tão forte que ela chegou a quebrar um dos dedos da mão. Em entrevista coletiva neste domingo, o fotógrafo Renan Hackradt Rego, padrasto da menina, chamou de absurda a discussão sobre a regularização e autorização para plantio. “São milhares de pessoas que estão usando no Brasil o importado, a produção em casa, uma produção coletiva, e estão vendo seus entes queridos melhorando. Isso não tem preço. A sociedade precisa debater, discutir e parar com o preconceito, porque quando a gente fala de amor, de ajuda ao próximo, não pode ser uma coisa que envolva preconceito”, disse.

Cinco cidades baianas receberão R$7,2 milhões para aperfeiçoar atendimento em UPAs

05 de out de 2017 às 16:34 | em: Saúde

Foto: Reprodução

Cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) baianas receberão R$7,2 milhões em recursos para aperfeiçoar ou ampliar o atendimento. Os municípios de de Feira de Santana, Ipirá, Itaberaba, Livramento de Nossa Senhora e Porto Seguro serão beneficiados. O anúncio do repasse de recursos foi anunciado pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta quinta-feira (5). Em todo o Brasil 46 UPAs serão beneficiadas. “A partir de agora, esses municípios poderão contar com o apoio do governo federal para continuar oferecendo atendimento de qualidade à população”, disse o ministro da Saúde.

Governo da Bahia disponibiliza 20 mil mamografias no Outubro Rosa

04 de out de 2017 às 10:18 | em: Bahia,Saúde

Foto: Ilustração

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (Sesab), promove atividades de prevenção e rastreamento do câncer de mama durante todo o mês de outubro. O Mutirão de Mamografia tem a meta de realizar 20 mil exames gratuitos na capital e no interior do estado, em mulheres de 50 a 69 anos.  Através das unidades móveis do programa Saúde sem Fronteiras. Em qualquer uma dessas unidades, a paciente que esteja entre a faixa etária de 50 e 69 anos, munida de original e cópia de RG, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência, recebe a senha e faz o exame. A mamografia é o exame para rastrear a presença de nódulos.O objetivo da mamografia é detectar muito cedo o câncer de mama. É importante identificar a doença na fase inicial para um tratamento com cirurgia mais conservadora.

Educador ambiental diz que consumo diário de água mineral não é recomendável

02 de out de 2017 às 09:18 | em: Saúde

Foto: Reprodução

A água mineral não deve ser consumida diariamente, por ser “extremamente ácida”. Quem afirma é o educador do Departamento de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), João Dias. Ele palestrou sobre o tema “Os Recursos Hídricos de Feira de Santana” durante seminário sobre Meio Ambiente e Saneamento Básico para moradores do bairro Aviário. De acordo com Dias, a melhor água para ser consumida é a da Embasa, cujo PH é corrigido. O evento, realizado na praça do CEU do conjunto Paulo Souto, no bairro Aviário, quinta e sexta-feira, (dias 28 e 29), foi promovido através de parceria entre o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), órgão da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, e a Embasa. O objetivo do seminário, conforme os organizadores, é despertar a comunidade para a importância de preservar o meio ambiente, como forma de garantir melhor qualidade de vida e os benefícios da acessibilidade ao saneamento básico. A assistente social Ana Emília Lima de Santana, que esteve representando a Embasa, ressaltou a importância do seminário para uma “conscientização das mudanças de hábitos na população”. A coordenadora do CRAS, Cibele Alves, ao afirmar que “os participantes do seminário aprendem a amar o meio ambiente, preservando a natureza, e a amar ao próximo, não descartando resíduos em vias públicas”.

Pela primeira vez, Cientistas removem doença genética de embrião com ‘cirurgia química’

28 de set de 2017 às 15:51 | em: Saúde

Foto: Ilustração

A equipe da Universidade de Sun Yat-sen usou uma técnica chamada “edição de base” para corrigir um único erro entre as três bilhões de “letras” do nosso código genético. Eles alteraram embriões feitos em laboratório para extrair a doença talassemia beta. A equipe disse que o experimento pode levar, algum dia, ao tratamento de uma série de doenças herdadas geneticamente. A técnica altera a construção base do DNA: as quatro bases adenina, citosina, guanina e timina. Elas são mais conhecidas por suas respectivas letras iniciais, A, C, G e T. Todas as instruções para “configurar” o corpo humano e colocá-lo em funcionamento estão codificadas nas combinações dessas quatro bases. A talassemia beta, uma doença sanguínea que causa sintomas de anemia e pode levar à morte, é provocada por uma mudança em uma única base no código genético – conhecida como mutação pontual. Os pesquisadores chineses a “editaram de volta”. Eles copiaram o DNA e trocaram o G por um A, corrigindo o problema. “Nós somos os primeiros a demonstrar a viabilidade de curar doenças genéticas em embriões humanos a partir de um sistema de edição de base”, disse à BBC Junjiu Huang, um dos cientistas do grupo. Ele disse que o estudo abre novas portas para tratar pacientes e prevenir bebês de nascerem com a talassemia beta “e até mesmo outras doenças hereditárias”. Os experimentos foram feitos com tecidos de um paciente com a doença e através de embriões humanos criados a partir da clonagem.

Revolução genética

A edição de base é um avanço em relação a outra forma de editar genes, a técnica conhecida como Crispr, que já está revolucionando a ciência. A Crispr quebra o DNA. Quando o corpo tenta consertar a quebra, ela desativa uma série de instruções, que também são chamadas de gene. Aí está a oportunidade de inserir novas informações genéticas. A edição de base faz as próprias bases de DNA se transformarem umas nas outras. O professor David Liu, pioneiro da edição de base na Universidade de Harvard, descreveu o método como “cirurgia química”. Ele afirma que a técnica é mais eficiente e tem menos efeitos colaterais indesejados do que a Crispr. “Cerca de dois terços das variantes genéticas humanas associadas a doenças são mutações pontuais. Portanto, a edição de base tem o potencial de corrigir diretamente, ou reproduzir para fins de pesquisa, muitas [mutações] patogênicas”. O grupo de cientistas da Universidade de Sun Yat-sen em Guangzhou (China) virou manchete anteriormente quando eles foram os primeiros a usar a técnica Crispr em embriões humanos. O professor Robin Lovell-Badge, do Instituto Francis Crick em Londres, disse que determinados trechos desse último estudo são “engenhosos”. Mas ele também questionou por que eles não fizeram mais pesquisas com animais antes de ir diretamente aos embriões humanos e afirmou que as regras sobre pesquisas com embriões em outros países teriam sido “mais rigorosas”. O estudo, publicado na revista científica Protein and Cell, é o mais recente exemplo da rapidez na evolução da habilidade dos cientistas de manipular o DNA humano. Isso está provocando um debate profundo de ética na sociedade, sobre o que é e o que não é aceitável nos esforços para prevenir doenças. O professor Lovell-Badge disse que esses métodos dificilmente serão usados clinicamente em breve. “Serão necessários muito mais debates sobre ética e sobre como esses métodos seriam regulados. E, em muitos países, incluindo a China, é necessário ter mecanismos mais robustos para regulação, fiscalização e acompanhamento a longo prazo.”

Prefeitura de Tucano recebe comissão de agentes de saúde e endemias

28 de set de 2017 às 09:45 | em: Saúde,Tucano

Foto: Divulgação

Uma comissão formada por agentes comunitários de saúde e combate a endemias de Tucano foi recebida, nesta manhã, para discutir assuntos relacionados às duas categorias. O encontro ocorreu no prédio da Prefeitura, com a presença de secretários municipais, vereadores, além do procurador Geral do Município. Os agentes de saúde e combate a endemias estão mobilizados, buscando melhorias. Durante a reunião ficou definido um novo encontro com a comissão, desta vez com a presença do prefeito municipal. A nova rodada de discussão será dia 29, próxima terça-feira. “Os membros da comissão deixaram o encontro de hoje com data e horário definidos para a próxima reunião. Será na terça, dia 29, às 15 horas, aqui na Prefeitura”, informou Saulo Galvão, secretário de Comunicação. “O nosso Governo tem buscado o diálogo com as categorias. Estamos buscando atender, na medida do possível, todas as demandas de nossos servidores e não será diferente com os agentes comunitários de saúde e endemias”, ressaltou o prefeito Luiz Sérgio (Dr Sérgio).

Homem em estado vegetativo há 15 anos acorda após implante

27 de set de 2017 às 16:44 | em: Saúde

Foto: Reprodução

Um pequeno implante conseguiu despertar um homem que estava há 15 anos em estado vegetativo. Ele moveu a cabeça e arregalou os olhos após receber estímulos elétricos no nervo vago, um dos principais responsáveis por conectar o cérebro ao resto do corpo. O pequeno aparelho elétrico foi implantado no pescoço do paciente francês, de 35 anos, que perdeu a consciência após sofrer ferimentos graves na cabeça em um acidente de carro em 2002. Depois de um mês recebendo pequenos choques na região, ele recobrou traços superficiais de consciência: se mantém alerta enquanto uma história é lida em voz alta, e arregala os olhos quando alguém se aproxima de seu rosto. Ele também é capaz de mover a cabeça a pedido dos médicos – embora demore cerca de um minuto para completar a tarefa. Além disso, houve um aumento na atividade do sistema nervoso, nas áreas responsáveis pela consciência. O estudo foi publicado esta semana na Current Biology e realizado pelo Instituto de Ciências Cognitivas Marc Jeannerod, em Lyon, na França. “A plasticidade cerebral e o reparo do cérebro ainda são possíveis mesmo quando a esperança parece ter desaparecido”, disse Angela Sirigu, do Instituto de Ciências Cognitivas Marc Jeannerod, co-autora do estudo. Ao estimular o nervo vago, mostramos que “é possível melhorar a presença de um paciente no mundo”, afirmou.

Transplante de coração uniu contador baiano e técnica de enfermagem cearense

25 de set de 2017 às 09:56 | em: Bahia,Saúde

Foto: Reprodução

Quem vê hoje o casal Jonatas Brandão, 35 anos, e Elys Brandão, 26, andando por aí com o filho Davi, 7 meses, não imagina que a relação de amor que originou a família teve início em um dos momentos mais difíceis da vida de Jonatas. Baiano de Salvador, ele estava internado numa UTI em Fortaleza (CE) à espera de um coração para ser transplantado. O dele tinha uma miocardiopatia hipertrófica, doença que deixa o coração mais rígido e espesso, o que dificulta os batimentos. Hoje enfermeira, Elys era técnica de enfermagem no hospital particular para onde inicialmente foi levado o contador Jonatas, em 5 de janeiro de 2015. O Hospital de Messegena, onde ocorreu o transplante, não tinha vaga na UTI. Ela chegou a largar o emprego de técnica do hospital só para cuidar de Jonatas. E desse cuidado nasceu uma relação de amizade que foi se aprofundando e resultou em casamento em 10 de outubro de 2015. Eles ainda vivem em Fortaleza, onde Jonatas tem de fazer acompanhamentos periódicos – o contador está afastado do emprego que tinha em uma empresa de alimentos em Salvador. O casal que vive feliz hoje lembra dos momentos difíceis como um aprendizado para a vida, sobretudo Jonatas, que entre 1997 e 2012 perdeu o pai, dois irmãos e uma irmã por causa da mesma doença que ele tinha.

Documento de auditoria revela que Secretária de Saúde de Araci foi notificada em antiga denúncia de irregularidades em hospital de Serrinha

22 de set de 2017 às 08:52 | em: Araci,Saúde

Hospital Santana | Foto: Ilustração

A publicação do Diário Oficial da União (D.O.U) de 21 de maio de 2012 trás uma notificação para que Ana Ofélia Matos Marques, atual Secretária de Saúde Araci, manifeste-se e apresente justificativas a respeito da auditoria nº 12206, SIPAR nº 25022.013669/2011-03. No dia 12 deste mês de setembro de 2017, através de uma matéria jornalística no site A Voz do Campo, a secretária se justificou e, dentre outros pontos, Ana Ofélia esclareceu que não havia relação sua com a denúncia em questão (ver). O site A Voz do Campo obteve o documento que revela detalhes da auditoria em questão. A auditoria foi realizada em razão de uma denúncia de irregularidades na Santa Casa de Misericórdia de Serrinha/SCM – Hospital Santana. A Secretaria Municipal de Saúde/SMS de Serrinha havia contratado a instituição filantrópica para prestação de serviços assistenciais complementares ambulatorial e hospitalar na cidade. A atual Secretária de Saúde de Araci é citada e foi notificada pela auditoria por ser a Secretária de Saúde de Serrinha em uma das ocasiões da denúncia (02/01/2009 a 03/10/2011).

Ana Ofélia | Foto: Ilustração

Como resultado da auditoria, segundo o Departamento Nacional de Auditoria do SUS, a infra-estrutura hospitalar apresentava graves problemas que vinha interferindo no desempenho e qualidade da assistência, atendimento e resolutividade, a exemplo, da urgência/emergência e quantitativo de profissionais insuficiente para o atendimento hospitalar nas 24 horas. A Unidade Hospitalar necessitava implementar ações na sua gestão, a fim de adequar as não conformidades encontradas nos vários setores referidos. Ainda segundo o documento, ficou constatado que todos os exames eram feitos no próprio hospital sem que o laboratório funcione, que havia falta de medicamentos suficientes, que o Hospital não possuía nutricionista, que o Hospital não tinha enfermeiras suficientes, que os salários dos empregados estavam atrasados, que o Hospital parou de fazer partos depois que o município assumiu e que hospital obteve verba com o Ministério da Saúde e a obra não havia sido inaugurada.
No documento, Ana Ofélia e outros ex-secretários de Saúde de Serrinha apresentaram suas justificativas: “Reconhecemos as falhas no processo de acompanhamento das metas pactuadas e, por conseguinte, no repasse dos recursos para a Santa Casa de Misericórdia, assim como quanto a não atualização do POA. Não obstante, esclarecemos que em 2011, o Componente Municipal de Auditoria do SUS encontrava-se em fase de reestruturação da equipe. No oportuno, informamos que medidas estão sendo adotadas para correção das não conformidades apontadas“. O site A Voz do Campo fez contato com Ana Ofélia, que não retornou o contato até o fechamento desta matéria.

Documento:

Relatório Consolidado Denúncia n°12206 SUS

Entenda o caso:

Secretária de Saúde de Araci esclarece citação de seu nome em auditoria de Hospital de Serrinha

Psicóloga araciense considera absurda a decisão sobre tratamento de pessoas homoafetivas

21 de set de 2017 às 09:22 | em: Araci,Saúde

Foto: Janine Oliveira

Gostaria de começar este texto, dizendo que sou Psicóloga e, sou batizada na Religião Católica. Por exercer esses dois papéis, sinto-se provocada a me posicionar sobre a referida polêmica “cura gay”, uma vez que, durante toda a semana, fui questionada sobre o que “eu” achava da temática. Então, vamos lá: sou Janine Oliveira Souza, CRP Muito. Muito do que se ouve sobre o tema em questão, diz respeito ao que se fala de boca em boca, já que a maciça maioria dos ouvintes, defensores e argumentadores, nunca leram ou sequer buscaram qualquer tipo de informação concreta sobre o assunto. A resolução 001/99 do CFP (Conselho Federal de Psicologia) no seu artigo 3 diz: “os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos NÃO SOLICITADOS.”

Foto: Ilustração

Geralmente toda pessoa que busca um profissional de Psicologia, o faz por estar passando por algum sofrimento psiquico, embora a psicoterapia seja um processo que todo ser humano devesse fazer independente de sofrimentos e patologias, pois, ela traz benefícios imensuráveis devido proporcionar, dentre outras coisas, a organização do nosso EU interior. Às vezes me pergunto sobre o real motivo desses infrutíferos debates e só consigo chegar a conclusão de que as únicas coisas que os definem é a desinformação e a defesa ideológica, já que o termo CURA GAY não existe oficialmente em nenhum documento e foi criado com a única intenção: gerar polêmica e minar a opinião pública. Todo psicólogo sabe que não é seu papel dar respostas a quem quer que seja, mas direcionar o sujeito à buscar suas próprias respostas, encontrar seus caminhos. Nós, PSICÓLOGOS, temos a obrigação de sermos neutro e de oferecer acolhimento, tendo em vista que, o direito de acolher não pode ser cerceado a quem o busca, uma vez que a única restrição feita pelo próprio CFP é que o profissional ofereça qualquer tipo de tratamento a quem NÃO SOLICITA. Entendo também que, este deve ser consciente e profissional para entender e agir conforme a necessidade do sujeito. Se a demanda da pessoa for para buscar caminhos que amenizem ou resolvam seus conflitos de ordem sexual, então que se faça de acordo com as convicções dele e que ele decida qual elaboração melhor lhe atende fazer. Na minha prática profissional, já recebi várias pessoas nessa condição e, sempre busquei agir com ética à profissão, respeitando às pessoas e preservando as minhas convicções, sempre tento o cuidado de atender cada demanda sem misturar de forma desrespeitosa a fé e a profissão, pois no final das contas todas as decisões são pessoais. Penso que se o respeito fosse um valor inegociável para todos os envolvidos no assunto, não precisaríamos gastar tempo com questão de foro tão pessoal, sendo que o nosso país tem urgência em outras demandas que são realmente necessárias serem debatidas e resolvidas. Precisamos ter o cuidado de não deixar sermos envolvidos por militâncias que em nada nos agregam, pois muitas vezes somos levados pela onda da polêmica, sem nem mesmo saber o que e porque estamos defendendo algo.  Não há cura para quem não está doente!

Secretária de Saúde de Araci esclarece citação de seu nome em auditoria de Hospital de Serrinha

12 de set de 2017 às 16:07 | em: Araci,Saúde,Serrinha

Foto: Ilustração

A publicação do Diário Oficial da União (D.O.U) de 21 de maio de 2012 trás uma notificação para que Ana Ofélia Matos Marques se manifeste e apresente justificativas a respeito da auditoria nº 12206, SIPAR nº 25022.013669/2011-03. Portanto, segundo a publicação, a atual secretária de saúde de Araci ficou citada a se pronunciar sobre um processo referente ao ano de 2011. Trata-se de uma denúncia de irregularidades e fraude no Hospital Santana, Serrinha. O fato tornou-se conhecido nas redes sociais através de opositores da atual gestão, bem como foi divulgado e alguns blogs.Procurada pelo site A Voz do Campo,  Ana Ofélia disse ter ficado surpresa que esta notificação esteja sendo relembrada e sendo usada com objetivo político neste momento em que ela assume a pasta da saúde em Araci. “O Hospital Santana de Serrinha é filantrópico. Não é do município. Auditorias ocorrem sequencialmente em hospitais e sempre participo dessas auditorias para auxilar os auditores. Nesses casos específicos eu sou citada enquanto fiscal”, disse ela. A atual secretária de saúde de Araci informou que procurá seus direitos para que especulações e o uso indevido de seu nome seja reparado. “Falei com o prefeito hoje e já sentarei com os advogados porque não aceito que tentem denegrir minha imagem. Eu não respondo a nenhum processo civil”, finalizou ela.

Começa a campanha de multivacinação para crianças e adolescentes

11 de set de 2017 às 17:24 | em: Saúde

Foto: Ilustração

Começou nesta segunda-feira (11) e vai até 22 de setembro a campanha de multivacinação de crianças e adolescentes com até 14 anos, 11 meses e 29 dias. Sábado, dia 16 de setembro, será o Dia de Mobilização Nacional. A multivacinação tem o objetivo de atualizar a caderneta de vacinação das crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade (até 14 anos, 11 meses e 29 dias). São 14 vacinas para as crianças: BCG, hepatite b, pentavalente, vip, vopb, rotavírus humano, pneumocócica 10 valente, meningocócica c conjugada, febre amarela, tríplice viral, tetra viral (ou tríplice viral + varicela), DTP, hepatite a e varicela. E seis são para os adolescentes: hepatite B, febre amarela, tríplice viral, dT, meningocócica C conjugada e HPV.

Ministério da Saúde anuncia fim do surto de febre amarela no Brasil

06 de set de 2017 às 17:23 | em: Brasil,Saúde

Foto: Ilustração

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (6) o fim do surto de febre amarela no país. Novos casos não são registrados desde o mês de junho. No total, foram 777 casos confirmados e 261 mortes no período entre dezembro de 2016 e agosto de 2017. Há ainda 213 casos em investigação. Ainda assim, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, pontuou que a cobertura vacinal deve ser ampliada em muitos estados. “A situação está sob controle, mas precisamos ampliar a cobertura vacinal, precisamos que todas as áreas de recomendação de vacinação tenham 90% de cobertura, essa é a meta”, afirmou. O gestor disse ainda que o ministério está preparado para fracionar uma vacinação caso seja necessário atender um grande público em curto período de tempo. De acordo com Barros, o Ministério da Saúde investiu R$ 66,7 milhões para controle do surto, com distribuição de 36,7 milhões de doses extras.