Justiça bloqueia R$ 9,9 milhões em bens de Geraldo Alckmin em processo ligado à Odebrecht

16 de abr de 2019 às 09:40 | em: Policia,Política
Foto: Reprodução / Jovem Pan

A Justiça de São Paulo bloqueou nesta segunda-feira (15) os bens do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. O processo está relacionado com uma denúncia de caixa 2 da Odebrecht para a campanha de 2014, em que Alckmin se reelegeu no primeiro turno. A decisão, que cabe recurso, é do juiz Alberto Alonso Muñoz, da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, atendendo a um pedido do Ministério Público (MP) de São Paulo. Muñoz ordenou o bloqueio de R$ 39,7 milhões dos investigados, incluindo Alckmin, a própria empreiteira e mais cinco réus executivos da empresa. O pedido de bloqueio em relação à conta de Alckmin é de R$ 9,9 milhões. Segundo o Ministério Público, a Odebrecht, entre os anos de 2013 e 2015, por meio de dois ex-diretores, teria “escolhido candidatos a governador e deputados estaduais que correspondem a suas pretensões de ser beneficiada em licitações, contratos de obras públicas e parcerias público-privadas, através de contribuições não declaradas à Justiça Eleitoral às respectivas campanhas políticas”. À Justiça, a defesa de Alckmin alegou que as delações premiadas seriam o único indício de caixa-2, mas o juiz rejeitou o pedido, alegando que há provas apresentadas pelo MP, além dos acordos de colaboração.

Como você se sentiu com este conteúdo?
Curti
Curti Amei Feliz Surpreso Triste Raiva

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.