Desnutrição atinge até 70% das crianças na Venezuela, diz relatório

13 de fev de 2018 às 08:18 | em: Mundo

Foto: Reprodução

Quase 70% das crianças venezuelanas de até cinco anos estão desnutridas, sendo 15% delas em um quadro agudo, segundo dados recentes de quatro Estados do país obtidos pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos e divulgados nesta segunda (12). Em um relatório de mais de 200 páginas, a comissão destaca que a situação da Venezuela é alarmante e gravíssima e, além de fazer recomendações ao país, pede a solidariedade internacional em especial de países que estão recebendo imigrantes venezuelanos, fugidos de uma das mais graves crises econômicas e sociais daquele país. A comissão, conhecida pela sigla CIDH e sediada em Washington, é um órgão autônomo criado pela Organização dos Estados Americanos (OEA) para promover e proteger os direitos humanos no continente e conta com sete membros independentes.  “Eles podem ser considerados refugiados, à luz da Declaração de Cartagena”, afirmou o brasileiro Paulo Abrão, secretário-executivo da CIDH, mencionando a situação de grave alteração da ordem pública e reiterada violação aos direitos humanos. “É preciso demonstrar solidariedade.” O Brasil registrou episódios recentes de agressão contra venezuelanos. Na semana passada, duas famílias tiveram suas casas incendiadas em Roraima, que tem recebido milhares de imigrantes em sua fronteira. A CIDH informou que irá solicitar informações ao governo brasileiro sobre o caso, em especial sobre o estado das investigações e as medidas que estão sendo tomadas para evitar novas ocorrências do gênero. “Sabemos que existem profundas situações de pobreza e de exclusão nesses lugares. Essa reação adversa é uma atitude mais instintiva que racional. Mas não se pode tolerar isso”, afirmou o presidente da CIDH, Francisco Eguiguren. “Uma das decisões mais dramáticas que uma família pode tomar é abandonar seu país.”

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.