Justiça do DF autoriza família a plantar maconha em casa para tratar filha

11 de out de 2017 às 16:31 | em: Brasil,Saúde

Foto: Reprodução

Dois casais de pais de Brasília, que já conseguiram o direito de usar canabidiol para tratarem seus filhos, se reuniram neste fim de semana na capital federal para comemorar uma decisão inédita do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. O TJDFT autorizou, na última quinta-feira, dia 5, a família da adolescente Júlia, de 16 anos, a plantar maconha medicinal na casa deles no Lago Norte, em Brasília, para tratar a jovem. A garota tem a rara síndrome de Silver-Russel (SSR) — que afeta o seu desenvolvimento desde o útero — e teve um edema cerebral aos 3 anos, após tomar um anti-inflamatório. O edema provocou uma paralisia do lado direito e a menina começou a ter convulsões e dor crônica. A família conta que Júlia chegou a ter 80 convulsões diárias, e uma das crises foi tão forte que ela chegou a quebrar um dos dedos da mão. Em entrevista coletiva neste domingo, o fotógrafo Renan Hackradt Rego, padrasto da menina, chamou de absurda a discussão sobre a regularização e autorização para plantio. “São milhares de pessoas que estão usando no Brasil o importado, a produção em casa, uma produção coletiva, e estão vendo seus entes queridos melhorando. Isso não tem preço. A sociedade precisa debater, discutir e parar com o preconceito, porque quando a gente fala de amor, de ajuda ao próximo, não pode ser uma coisa que envolva preconceito”, disse.