Agricultura

Fetraf Bahia participa de audiências no Centro Administrativo da Bahia

10 de out de 2019 às 15:45 | em: Agricultura,Bahia,Brasil

Foto: Divulgação

A Fetraf Bahia representada pelo Coordenador geral Rosival Leite e os diretores Joeleno Monteiro, Marinaldo, Roseli, Zé da Paz e Zilda do Sintraf de Serrinha, esteve na última sexta feira (04), no Centro Administrativo da Bahia (CAB) em audiência para debater pautas. Na Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento do Governo da Bahia (SHIS) e na Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (CERB), foi debatido acerca das perfurações e instalações de poços artesianos e sobre a questão hídrica no Semiárido. Na Secretaria de Infraestrutura do Governo da Bahia (SEINFRA), foi tratado sobre a eletrificação e as estradas nos assentamentos rurais do Estado. Na Secretaria do Meio Ambiente do Governo da Bahia (SEMA), foi dialogado sobre o Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR).

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Descarte de cascas e polpas de laranja cria ‘milagre verde’ e recupera floresta tropical

07 de out de 2019 às 11:47 | em: Agricultura

Foto: Reprodução

“Sujar” uma floresta parece uma solução improvável para ajudar o meio ambiente, mas foi exatamente o que aconteceu na Costa Rica. Em meados dos anos 90, mais de mil caminhões despejaram 12 mil toneladas de cascas e polpas de laranja em pastagens áridas na Reserva Guanacaste, no norte do país. Mais de duas décadas depois, aconteceu algo surpreendente. Em 2013, uma equipe de cientistas da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, voltou à área e descobriu um aumento de 176% na biomassa. A outrora área vazia de três hectares (o equivalente a quase 13 campos de futebol) se transformou em uma exuberante floresta tropical.

Experimento revolucionário

Mas como isso aconteceu? Na verdade, tudo fazia parte de um experimento revolucionário de preservação ambiental, mas que acabou interrompido repentinamente. Em 1996, os americanos Daniel Janzen e Winnie Hallwachs, ambos professores da Universidade da Pensilvânia e consultores das autoridades ambientais da Costa Rica, entraram em contato com a empresa de sucos Del Oro (cuja fábrica de processamento ficava ao lado da Reserva Guanacaste). Eles ofereceram à Del Oro um acordo “ganha-ganha”: em troca da doação de uma grande área de terra, a empresa poderia descartar suas cascas de laranja e resíduos de polpa em pastagens degradadas nas proximidades da reserva – evitando, assim, ter a dor de cabeça logística de dar a devida destinação a esse tipo de resíduo. Janzen e Hallwachs acreditavam que a biodegradação dos resíduos de frutas poderia ajudar na recuperação da floresta tropical. E eles estavam certos.

Resultado impressionante

Uma comparação entre as terras cobertas com as cascas e as que não receberam tratamento mostrou que os resíduos de laranja funcionaram como fertilizantes. Além de mais biomassa, esses “depósitos de lixo orgânico” tinham solo mais rico, mais espécies de árvores e maior cobertura florestal – em outras palavras, a área era mais verde. Sendo assim, o descarte dos resíduos da laranja forneceu uma maneira mais barata e mais eficaz de recuperar florestas ameaçadas. Apesar do sucesso, o projeto Guanacaste foi surpreendentemente encerrado apenas alguns anos após o seu início. Em 1998, a parceria entre a Del Oro e a ACG foi legalmente contestada pela TicoFrut, uma empresa de sucos rival. A concorrente acusou a Del Oro, entre outras coisas, de “profanar” um parque nacional. Em 2000, o Supremo Tribunal da Costa Rica decidiu que o contrato assinado entre Del Oro e o Ministério do Meio Ambiente e Energia era ilegal. Leia mais em G1.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Blockchain: Agricultura Familiar em Água Fria adere a método revolucionário para alavancar seus negócios

06 de out de 2019 às 10:04 | em: Agricultura,Água Fria

Foto: FELIPE SANTOS (BANCO MUNDIAL)

Até semanas atrás, os agricultores familiares da Cooperativa de Jovens de Água Fria, na Bahia, desconheciam softwares de código aberto, alteráveis por qualquer pessoa. Tampouco tinham ouvido falar de blockchain, uma espécie de livro contábil público, que guarda — de forma permanente e à prova de violação — os registros das transações online. Mas, desde que descobriram o potencial dessas tecnologias para alavancar seus negócios, tornaram-se fãs. Eles estão entre os primeiros usuários de um aplicativo criado para facilitar a aquisição de bens, serviços e obras pelas associações e cooperativas de agricultura familiar da Bahia e do Rio Grande do Norte. A Solução Online de Licitação (SOL) ajuda os produtores rurais a terem acesso a fornecedores do Brasil inteiro, além de armazenar todos os processos e dados necessários para a transação. Por meio do app — disponível para Android e Apple Store —, as assinaturas de contratos se tornam digitais, poupando tempo e papel para compradores e fornecedores. O código aberto e a tecnologia blockchain oferecem segurança e capacidade de auditoria a todos os negócios realizados. “Para nós, essas tecnologias são algo nunca visto. Estávamos até receosos de não conseguir trabalhar com o sistema, mas ele é muito fácil e já queremos usá-lo para tudo”, conta Rafael Borges, presidente da Cooperativa de Jovens de Água Fria. Por meio do sistema, a organização comprou notebook, impressora e GPS, e está de olho em equipamentos para a criação de galinhas caipiras.

Década da Agricultura Familiar

Essa mudança na maneira de fazer negócios se tornou possível com uma parceria entre o Banco Mundial e os governos da Bahia e do Rio Grande do Norte e faz parte de uma necessária transformação no campo. “Conectar produtores rurais como Rafael e seus colegas às tecnologias da informação será fundamental para aumentar a produtividade no campo e ajudar a alimentar a população global, que chegará a 9,7 bilhões em 2050”, diz a especialista em desenvolvimento rural Fatima Amazonas, do Banco Mundial, gerente dos projetos Bahia Produtiva e RN Sustentável, beneficiados pela nova ferramenta. Os agricultores familiares produzem 80% dos alimentos em todo o mundo e gerenciam três quartos dos recursos naturais do planeta, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). Com celulares, internet, aplicativos e outras ferramentas, eles conseguem ter mais acesso a dados e tomar melhores decisões, como enfatiza o relatório Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) na Agricultura, publicado em 2017 pela instituição. “A disseminação de telefones celulares nas áreas rurais já causou importantes mudanças no setor agrícola. Reduzir esses custos nos países em desenvolvimento ajuda a promover o acesso aos mercados, facilitar a inclusão financeira e a gestão de riscos, contribui significativamente para o alerta precoce e pode ser fundamental para revolucionar a extensão rural”, informa o documento. A FAO, a propósito, definiu o período entre 2019 e 2028 como a Década da Agricultura Familiar, cujo plano de ação destaca, entre outras necessidades, a de promover acesso às tecnologias da informação para mais produtores e organizações rurais. E isso requer investimentos em uma série de fatores.

Fácil compreensão

Em Água Fria, onde Rafael Borges mora, os produtores rurais já usavam normalmente a Internet fixa e a móvel. Mas nem sempre essa é a realidade dos agricultores familiares pelo mundo. Dados publicados pela Associação GSM (GSMA) em 2018 mostram que, entre 2014 e 2017, a cobertura 3G aumentou de 75% para 87% globalmente, alcançando 1,1 bilhão de pessoas que ainda não estavam conectadas. No entanto, apenas cerca de um terço da população em países de baixa renda é coberta por redes 3G. A GSMA descreve outros fatores que podem ajudar ou atrapalhar a adoção tecnológica pelos homens e mulheres do campo. O primeiro deles é o custo dos aparelhos, dos planos de dados e dos impostos que incidem sobre esses itens. O segundo, a disposição dos consumidores: muitas vezes eles evitam usar os serviços por desconhecimento ou medo. Finalmente, a questão dos conteúdos, que nem sempre estão disponíveis nas línguas locais ou são de fácil compreensão para quem tem baixa escolaridade. Tudo isso foi levado em conta na criação da Solução Online de Licitação. “A nossa preocupação maior foi montar um aplicativo que fosse intuitivo e de uso fácil, tanto para as associações de agricultores quanto para os fornecedores”, conta Luciano Wuerzius, especialista sênior em licitações do Banco Mundial. “Os procedimentos de licitação eram feitos da mesma forma há muitos anos, e a tecnologia existe para melhorá-los”, acrescenta. Todos os beneficiários dos projetos Bahia Produtiva e RN Sustentável serão treinados até o fim do ano para aprenderem a usar o aplicativo. As notícias sobre os bons resultados animam produtores rurais como Joara Silva, diretora-presidente da Cooperativa Mista dos Cafeicultores de Barra do Choça e Região (Cooperbac). “Esperamos ter uma participação maior na economia. Essa tecnologia é muito importante para agilizar o andamento dos processos e, consequentemente, os resultados chegarão mais rápido”, comenta. No momento atual, em que todas as profissões sentem os impactos das novas tecnologias, a revolução da agricultura familiar está apenas começando.

Autora do Texto: Mariana Kaipper Ceratti é produtora online do Banco Mundial

Fonte: El País Brasil

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Meio Ambiente: Umbuzeiro, “a árvore sagrada do sertão”; Artigo de Maria de Sousa

05 de out de 2019 às 10:09 | em: Agricultura,Colunistas

Foto: Maria de Sousa

“Umbuzeiro é a árvore sagrada do sertão. Sócio fiel das rápidas horas felizes e longos dias amargos dos vaqueiros. Representa o mais frisante exemplo de adaptação da flora sertaneja”.

 “O sertanejo é, antes de tudo, um forte”. (Euclides da Cunha – Livro:  “Os sertões”).

Falar de Meio Ambiente, é falar de vida: nossa vida, do nosso País e do Planeta!  Assim dispõe o caput do artigo 225, da Constituição Federal: “Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.

Fotos: Reprodução/Google

A propósito, vale ressaltar que, no Brasil, comemora-se o  Dia da Árvore em 21 de setembro, de cada ano, antecedendo à Primavera,  cujo objetivo é conscientizar às pessoas sobre a importância da preservação das árvores  para o meio ambiente e à vida de todos. Em outra oportunidade, falamos da árvore Baraúna, uma árvore nativa do Brasil e de grande relevância para o meio ambiente (relembre). Nesse momento, destacaremos a importância de outra árvore considerada símbolo da Caatinga: o Umbuzeiro! Na época do Brasil Colônia, as palavras “imbu” e “umbu” provenientes do tupi im’bu, recebiam denominações de ambu, imbu e ombu, corruptelas da palavra tupi-guarani “y-mb-u”, que significava “árvore que dá de beber” (embora haja a possibilidade de que seja, de fato, uma palavra de origem cariri). O Umbuzeiro, Imbuzeiro ou jique (nome científico: Spondias tuberosa L.), da família das anacardiáceas, “árvore de pequeno porte, de copa larga (até quinze metros de largura), originária dos chapadões semiáridos do Nordeste brasileiro, que se destaca por fornecer sombra e aconchego. Dada a importância de suas raízes, foi chamada “árvore sagrada do Sertão” por Euclides da Cunha. O umbuzeiro conserva água em sua raiz, podendo chegar a armazenar até mil litros, e, além disso, produz uma batata, que, em época de grande estiagem, é utilizada como alimento. O umbuzeiro vive em média 100 anos, e é considerado um símbolo de resistência. Ainda, como a maioria das plantas na Caatinga, o umbuzeiro possui grande resistência à seca, tendo, assim, todas suas folhas perdidas nos períodos de estiagem, mas que, contudo, voltam a florescer nas primeiras chuvas. Sendo assim, a floração desta planta ocorre no fim da estação de estiagem e, seu período de frutificação, estende-se por todo o período chuvoso. Seu fruto é conhecido como umbu ou imbu e possui grande importância econômica, uma vez que são bastante comercializados in natura. Suas folhas e raízes também podem ser utilizadas para alimentação e, além disso, a água armazenada nesta última é utilizada na medicina popular. Ela é uma árvore frutífera que possui alta distribuição na região nordeste, sendo capaz de resistir às secas severas e ao clima nordestino. Por ser uma espécie túbera suas raízes absorvem bastante água. O umbuzeiro consegue produzir uma grande quantidade de frutos, mais conhecidos como umbu ou também como imbu, que são riquíssimos em vitamina C, vitamina A, vitamina B1 e carboidratos”(in Wikipédia). O Umbuzeiro, além da importância econômica, possui também valor ecológico, uma vez que fornece recursos florais, tais como néctar e pólen, e ainda, local de nidificação para algumas abelhas da tribo Meliponini. Seu cultivo em larga escala, de modo geral, tanto beneficia à alimentação humana, quanto o suplemento alimentar de animais. Outras denominações do Umbuzeiro no Brasil: Alagoas, imbu e imbuzeiro; na Bahia, imbu, umbu e umbuzeiro; no Ceará, ambu, embu, imbu, imbuzeiro, ombu; umbuzeiro, na Paraíba; imbuzeiro e umbuzeiro; no Piauí; em Sergipe, imbuzeiro e umbuzeiro; e, em Pernambuco, imbu, imbuzeiro, umbu e umbuzeiro. Nessa linha, notamos a grande importância social, ambiental e econômica do Umbuzeiro, razão pela qual, necessário se faz a criação de uma legislação de proteção à referida espécie vegetal da Caatinga, pois apesar de sua resistência à seca, vem sendo ameaçada por desmatamentos, superpastejo (“refere-se ao número excessivo de animais em relação à quantidade de forragem existente”) e fatores climáticos (que trazem doenças à árvore), ameaçando sua própria sobrevivência. Nesse entendimento, vale registrar que, em 2004, tramitou na Câmara dos Deputados, o Projeto PL 3548/2004, que proibia a derrubada do Umbuzeiro em todo o país, foi submetido à Câmara, sem aprovação, arquivado em 2011. Ações em defesa e proteção das espécies vegetais da Caatinga, como o Umbuzeiro, colaboram para fortalecer o meio ambiente e à vida de todos! Diante do exposto, observamos que, a preservação do meio ambiente exige atenção de todos, poder público e sociedade, que aliados nesse objetivo, poderão trazer soluções concretas para cuidar e evitar a extinção de espécies vegetais de valor extraordinário como o Umbuzeiro! Concluindo, recordemos a mensagem do grande e inesquecível Luiz Gonzaga, o “Rei Baião”, trazidas na bela música, logo a seguir:

Umbuzeiro da Saudade

Umbuzeiro veio
Veio amigo quem diria
Que tuas folhas caídas
Tuas galhas ressequidas
Íam me servir um dia
Foi naquela manhãzinha
Quando o sol nos acordou
Que a nossa felicidade
Machucou tanta saudade
Que me endoideceu de amor……….bis
Indiscreto passarinho
Solitário cantador
Descobriu nosso segredo
Acabou com nosso enrêdo
Bateu asas e vou
Hoje vivo pelo mundo
Tal o qual o vem-vem
Sobiando o dia inteiro
Quando vejo um umbuzeiro
Me lembro de ti meu
bem.

Maria de Sousa – Advogada, Araciense e Colunista do site “A Voz do Campo” – Direto de São Paulo – Capital.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Secretários do Nordeste discutem desenvolvimento rural e Bahia ganha reforço para agricultura familiar

05 de out de 2019 às 09:38 | em: Agricultura,Bahia

Foto: Ilustração

O desenvolvimento rural do Nordeste foi o assunto principal da reunião extraordinária do Fórum dos Gestores Estaduais responsáveis pelas Políticas de Apoio à Agricultura Familiar no Nordeste e Minas Gerais, realizado, nesta quinta-feira (03), em Recife. O evento contou com a participação de gestores da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR). O intuito foi construir uma pauta e uma estratégia de diálogo com o Consórcio Nordeste, formado pelos gestores dos nove estados da região Nordeste, para que possa incorporar na sua atuação, nos financiamentos, na execução e na captação de recursos, o tema desenvolvimento rural. A intenção é que a Bahia e todos os outros estados se beneficiem, pois além de cada localidade desenvolver seu conjunto de ações para o desenvolvimento rural, terá o reforço de atuação e de investimentos, tanto presente quanto futuro, que possam ser captados com organismos internacionais, entre outros. Foram realizados o nivelamento dos últimos diálogos sobre a relação Fórum Gestores X Consórcio Nordeste Definição das pautas prioritárias, a estratégia para apresentação ao Consórcio Nordeste do acordo de comercialização de carne caprina para o mercado árabe e apresentada a estratégia à Secretaria Executiva do Consórcio Nordeste. A captação de recursos para implantação de tecnologias sociais de captação e armazenamento de água foi um dos desdobramentos da reunião, que contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Rural da Bahia, Josias Gomes, do secretário da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido da Paraíba, Luiz Couto, secretário de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco, Dilson Peixoto, secretário da Agricultura de Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf) do Rio Grande do Norte, Alexandre de Oliveira, o secretário de Agricultura Familiar do Piauí, Herbert Buenos, secretário estadual do Desenvolvimento Agrário, De Assis, e do secretário executivo do consórcio, Carlos Gabas. Segundo Josias, o mundo rural nordestino teve um impulso muito significativo durante os últimos governos, mas cada estado tratou de forma isolada as suas demandas: “A aglutinação dos secretários que cuidam da agricultura familiar do Nordeste, neste momento, favorece ações conjuntas. O tema da água pra produção de alimentos, nos une de ponta a ponta”. O Fórum é um espaço permanente de reflexão e articulação política e técnica da agricultura familiar, no qual são discutidos estratégias e instrumentos para uma ação regional articulada de fortalecimento e expansão do segmento.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Rosival Leite participa de audiência com senador Jaques Wagner

01 de out de 2019 às 16:17 | em: Agricultura,Bahia

Foto: Divulgação

Nesta ultima segunda-feira (30), o coordenador geral da Fetraf-BA Rosival Leite, esteve juntamente com outras lideranças de organizações da região em audiência com o senador Jaques Wagner (PT). Segundo Rosival, a audiência foi uma grande oportunidade para debater temas ligados a agricultura familiar. “Afirmamos o compromisso com esse seguimento tão importante para nosso estado, o senador se colocou a disposição para construir ideias conosco”, disse ele.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Rosival Leite participa de audiência na Secretaria de Meio Ambiente do Estado

26 de ago de 2019 às 16:01 | em: Agricultura,Bahia

Foto: Divulgação

O coordenador geral da Fetraf-Ba, Rosival Leite, esteve participando juntamente com a diretora de finanças, Maria Eliana, de uma audiência na Secretaria de Meio Ambiente do Estado (SEMA). Na audiência, foram tratadas pautas estaduais da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FETRAF), e entre pontos prioritários foi tratado do Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR). Segundo Rosival, será apresentado em breve a lista dos municípios e sindicatos ligados a entidade, para que sejam adotadas as devidas providências referentes ao CEFIR.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Como fazer mudas de Banana? Produção, plantio e manejo

23 de ago de 2019 às 09:05 | em: Agricultura,Bahia

Foto: Reprodução

O conhecimento do produtor rural é uma coisa fantástica de se ver. São tantas técnicas e experiências que chega a ser preciso conviver muito tempo com eles para podermos aprender pelo menos um pouco do tanto que têm a oferecer sobre plantio e produção de diversas mudas e culturas que povoam suas propriedades rurais. Por isso, disponibilizamos mais este maravilhoso vídeo sobre como fazer mudas de banana para o aumento da produtividade na propriedade rural. Confira, aprenda e experiêncie, não fique parado!

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Começa nesta segunda-feira (12) o prazo para entrega da declaração de propriedade rural

12 de ago de 2019 às 10:33 | em: Agricultura,Brasil,Notícias

Foto: Ilustração

A partir desta segunda-feira (12), os proprietários rurais de todo o país começam a enviar a Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) de 2019. O prazo de entrega vai até às 23h59min59s de 30 de setembro. A Receita Federal espera receber 5,7 milhões de declarações este ano, cerca de 38 mil a mais que as 5.661.803 enviadas em 2018. A declaração só pode ser preenchida por meio do programa gerador da declaração, que pode ser baixado na página do órgão na internet a partir desta segunda-feira (12). Devem apresentar a declaração pessoas físicas e jurídicas proprietárias, titulares do domínio útil ou que detenham qualquer título do imóvel rural. Apenas os contribuintes imunes ou isentos estão dispensados de entregar o documento. O produtor que perdeu ou transferiu a posse ou o direito de propriedade da terra desde 1º de janeiro também está obrigado a apresentar a declaração. A DITR deve ser preenchida no computador, por meio do programa gerador. O documento pode ser transmitido pela internet ou entregue em mídia removível (como CD ou pendrive) em qualquer unidade da Receita Federal. Quem perder o prazo pagará multa de 1% ao mês sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 50. O contribuinte que identificar erros nas informações pode enviar uma declaração retificadora, antes de o Fisco iniciar o lançamento de ofício, sem interromper o pagamento do imposto apurado na declaração original. O Imposto sobre Propriedade Territorial Rural pode ser pago em até quatro parcelas mensais, mas nenhuma quota pode ser inferior a R$ 50. O imposto inferior a R$ 100 deve ser pago à vista até 30 de setembro, último dia de entrega da declaração. O pagamento pode ser feito por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) em qualquer banco ou por transferência eletrônica de instituições financeiras autorizadas pela Receita.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Cadastro Ambiental Rural passa a ser obrigatório na declaração do ITR

08 de ago de 2019 às 09:08 | em: Agricultura,Brasil

Foto: Fernando Martinho

O governo federal tornou uma exigência a apresentação do recibo do Cadastro Ambiental Rural na declaração do Imposto Territorial Rural (ITR). É o que consta na Instrução Normativa 1.902, publicada em 19/07/2019, que define as regras para os proprietários rurais de todo o Brasil apresentarem à Receita Federal a declaração deste ano. As informações ambientais são importantes para ser feita a exclusão das áreas não tributáveis da base de cálculo do imposto devido pelo proprietário rural. No artigo 6º da normativa, que se refere aos dados sobre as áreas de preservação ambiental, a Receita Federal diz que o contribuinte tem que cumprir com duas exigências: apresentar o Ato Declaratório Ambiental (ADA) ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e informar o recibo do CAR na declaração. Todos os comprovantes deverão constar na declaração. “A informação, na DITR (Declaração do Imposto Territorial Rural), do número do recibo do ADA de 2019 apresentado ao Ibama e do número do recibo de inscrição do imóvel rural no CAR é obrigatória para todos os contribuintes do ITR”, diz o texto. Uma redação bem diferente da normativa para o ITR de 2018. Na IN 1.820, de julho do ano passado, dizia apenas que o contribuinte deveria apresenta a ADA ao Ibama. E acrescentava que quem já tinha o Cadastro Ambiental Rural deveria informar na declaração. Leia mais em Globo Rural.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Agricultura: Produto promete recuperar solos desertificados em horas

28 de maio de 2019 às 15:32 | em: Agricultura

Foto: Ilustração

A empresa norueguesa Desert Control desenvolve, desde 2008, um produto revolucionário capaz de recuperar áreas tradicionalmente desertas ou que sofreram com o fenômeno da desertificação. A mistura patenteada Liquid Nanoclay (LNC) é pulverizada diretamente em terra seca e arenosa, criando uma rede de retenção de água no perfil do solo. O milagre é executado com o uso do Liquid NanoClay, da empresa Desert Control, uma mistura de água e argila que é pulverizada ou introduzida no solo em profundidade, criando uma “capa” de argila nos grãos de areia. O procedimento torna o solo uma esponja, capaz de reter água e nutrientes. A empresa promete recuperar as áreas degradadas em apenas 7 horas. A água fica retida na superfície em até 65%, significa menos necessidade de água e enormes reduções de custo, solos mais robustos e maior rendimento. Várias áreas estão em testes pelo mundo, inclusive em Dubai, com ótimos resultados. Mas o “milagre” não é barato: a aplicação custa entre US$ 1800,00 e US$ 9500,00 por hectare, dependendo do tamanho da área.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Universidade cria técnica que identifica uso de agrotóxicos em frutas

26 de maio de 2019 às 12:14 | em: Agricultura,Brasil

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Um estudo desenvolvido pela Universidade Federal de Goiás (UFG) possibilitará, a produtores e autoridades sanitárias, identificar e mensurar o uso de agroquímicos – em especial pesticidas e fungicidas – nas frutas e legumes consumidos no país. Segundo pesquisadores, a técnica poderá ser usada também para checar se os produtos enviados ao exterior estão em conformidade com a legislação estrangeira no que se refere a agrotóxicos. O orientador da tese, professor do Instituto de Química da UFG, Boniek Gontijo, explica que a técnica permite, também, evitar “as discrepâncias entre a quantidade sugerida nos rótulos de agrotóxicos e a quantidade suficiente para que o agroquímico exerça sua função. Em geral, eles sugerem uma quantidade maior do que a necessária, com o objetivo de aumentar seus lucros”, justificou o professor. Desenvolvida em parceria com a Louisiana State University (EUA), a técnica foi usada, inicialmente, para identificar o nível de penetração do fungicida imazalil em maçãs. “Constatamos que a substância penetra além da casca da fruta, atingindo em pouco tempo suas estruturas internas, o que pode prejudicar a saúde do consumidor, mesmo que a casca seja lavada”, disse.

Molécula não é degradada pela luz

“Ao contrário do que é dito nas especificações do fungicida, sua molécula não é degradada pela luz e, com isso, acaba penetrando na fruta”, acrescentou, referindo-se especificamente ao imazalil, utilizado para inibir o desenvolvimento de fungos, postergando o apodrecimento do produto. A Associação Brasileira dos Produtores de Maça (ABPM) informou que este fungicida não é usado nos produtos nacionais. Continue lendo em Agência Brasil.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Rosival Leite acompanha sindicato rural em audiências na capital baiana

15 de maio de 2019 às 15:44 | em: Agricultura,Bahia

Foto: Divulgação

Nesta última terça-feira (14), o coordenador geral da FETRAF-BA, Rosival Leite, acompanhou em Salvador, um sindicato rural da cidade de Caitité em audiências para tratar pautas da agricultura familiar do município. Segundo Rosival, participaram de audiências na Superintendência de Agricultura Familiar (SUAF), Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (BAHIATER), reunião com o presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Everaldo Anunciação, e por último um dialogo com o diretor executivo do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (CAR), Dr. Wilson Dias.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

FETRAF-BA participa de sessão na Assembleia Legislativa da Bahia em defesa do Banco do Nordeste

30 de abr de 2019 às 16:34 | em: Agricultura,Brasil

Foto: Reprodução

O coordenador geral da FETRAF-BA, Rosival Leite, e a diretora Roseli Damascena participaram nesta segunda-feira (29), da sessão em defesa do Banco do Nordeste (BNB), na Assembleia Legislativa da Bahia em Salvador. Na ocasião, a FETRAF-BA se posicionou direto da tribuna contra a fusão do BNB ao BNDES, “o papel social do BNB é muito importante em todo o nordeste, ainda mais com a oportunidade de inclusão bancária aos agricultores/as familiares, somos contra a fusão ou a privatização, estaremos mobilizando os Sindicatos de nossa base para aumentar essa força, a Bahia não pode perder esse apoio”, afirmou Rosival Leite. A sessão contou com a presença de representantes de sindicatos da base da FETRAF-BA e Fetag, do ex-superintendente do BNB, Ferraro, deputados/as estaduais, Eduardo Salles, Zó, Maria Del Carmem, deputado Federal Joseildo Ramos, dirigentes do Sindicato dos Bancários e outras autoridades.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Fetraf-Ba apresenta na SDR propostas para a agricultura familiar de Araci

24 de abr de 2019 às 16:32 | em: Agricultura,Araci
Foto: Divulgação

Nesta terça-feira (23), o coordenador geral da FETRAF-BA, Rosival Leite, juntamente com a vereadora Edneide Pereira de Araci, esteve na Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), para solicitar e apresentar propostas relacionadas a agricultura familiar do município de Araci. Segundo Edneide, as propostas foram bem recebidas pelo secretário Josias Gomes, e que logo estarão desenvolvendo tais.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Ascoob: Assembleia Geral Ordinária será realizada em Araci neste domingo (28)

23 de abr de 2019 às 15:03 | em: Agricultura,Araci

Neste domingo (28), o Ascoob Cooperar realizará a Assembleia Geral Ordinária em Araci, para prestação de contas do exercício de 2018. A Assembleia será realizada no Centro Paroquial Padre Osvaldo, situada na Rua Padre Fiorentino, e terá inicio às 08h00. Além da prestação de contas, debates serão realizados e também apresentação de novos projetos para este ano de 2019. Ascoob Cooperar convida a todos os seu cooperadores para a Assembleia que é de suma importância.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Tucano: Empresa de energia solar e Ascoob convidam cidadãos para palestra em Caldas do Jorro

22 de abr de 2019 às 16:46 | em: Agricultura,Brasil,Negócios,Tucano
Foto: Divulgação

Nos dias 09 e 10 de maio será realizada pela empresa NIMBUS, uma palestra sobre bombeamento solar em Caldas do Jorro. Além de palestra, será realizada um dia de campo juntamente com os técnicos da área. O evento será realizado no Hotel Paraíso das Águas, em Caldas do Jorro, das 08h00 às 14h00. O sistema Ascoob, uma das empresas que apoia o evento, oferece também consórcio em parceria com a Globaltek para utilização de energia solar. Para participar do evento é preciso realizar inscrições que são totalmente gratuitas. Para realizar as inscrições ou para mais informações ligue: (75) 99995 – 8525 ou (75) 99141 – 4252.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Agricultura: FETRAF-BA completa 15 anos de história

18 de abr de 2019 às 15:18 | em: Agricultura
Foto: Facebook Fetraf-Ba

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do estado da Bahia (FETRAF-BAHIA/CUT), é uma organização sindical que nasceu em 2004 com o resultado de uma longa caminhada repleta de lutas, reuniões e reflexões entre diversos autores das organizações sociais. A Fetraf-Ba surgiu das experiências e apoio de diversas organizações não governamentais a partir da necessidade de construir “um novo sindicalismo”, e se concretizou no I Congresso da Agricultura Familiar na Bahia, realizado no período de 14 a 16 de abril de 2004, no município de Simões Filho. Desde então, a Fetraf-Ba desenvolve ações voltadas para a organização, ação e formação do trabalho rural. Com sede na cidade de Salvador, atualmente tem uma atuação em mais de 90 municípios, alargando a cada dia o seu espaço de atuação a partir da articulação com as associações comunitárias, sindicatos rurais, cooperativas e outras entidades e instituições parceiras. Nesta última terça-feira (16) de Abril, a Fetraf-Ba comemorou seus 15 anos de história!!

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Ascoob Cooperar promove pré assembleias em municípios cooperados

Foto: Divulgação

A Ascoob realizou durante os meses de março e abril de 2019, as Pré- Assembleias com os cooperados. O objetivo da Pré-assembleia é fortalecer a transparência na gestão da cooperativa e instrumentalizar os associados a fim de qualificar a participação e atuação na Assembleia geral. O evento foi realizado nos municípios de Teofilândia, Tucano, Euclides da Cunha, Canudos e Araci. No dia 28 acontecerá às 09h00, no salão Paroquial de Araci, a Assembleia Geral Ordinária 2019, onde a diretoria utilizará para apresenta os resultados da Cooperativa no ano de 2018 e o plano operacional para 2019. Na assembleia também é decidido pelos cooperados através do voto, o destino das sobras do exercício anterior. A participação dos Cooperados é fundamental para o entendimento do funcionamento e fortalecimento da Ascoob.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Direção da Fetraf, Cootraf e Coopehabitar reúnem-se e debatem sobre melhorais para Agricultura Familiar

12 de abr de 2019 às 16:12 | em: Agricultura
Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (10), a direção da Fetraf, Cootraf, Coopehabitar e o secretario Josias Gomes, se reuniram na Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). Segundo Rosival Leite, coordenador geral da Fetraf, na oportunidade foi entregue a pauta de reivindicações da Federação, e também foi iniciado as tratativas para o ano de 2019. Em seguida a direção foi recebida pelo Dr. João Carlos, Secretario de Meio Ambiente do estado da Bahia, onde foi encaminhado demandas de extrema importância para a Agricultura Familiar, como CEFIR, Regularização Ambiental, Recuperação de áreas degradadas e situação das barragens em risco no estado da Bahia.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.