Gilma Reis

Ascensão de Cristo e a oportunidade de renascer das cinzas 

13 de jul de 2017 às 09:15 | em: Araci,Cidades,Gilma Reis

Por Gilma Reis

A vida de Jesus cristo foi marcada pelo mistério da encarnação. Homem e Deus que conviveu no meio da humanidade para poder sentir tudo aquilo que os homens sentem (dores, tristezas, alegrias,sofrimentos), tudo isso o nazareno viveu. Herdou a profissão de carpinteiro do seu pai adotivo, São José, para mostrar que os homens precisam ter uma ocupação como meio de sustentabilidade, manutenção de sua família e contribuição social. Jesus se preparou para exercer a sua missão. E foi só aos 33 anos que ele iniciou sua vida pública.Adepto de uma pedagogia com sabedoria e compromisso com os mais necessitados, embora não tenha fechado as portas para os ricos, seu propósito sempre foi de resgatar a vida daqueles que perderam as suas direções e a oportunidades de saber quem de fato são.Curou os doentes, acolheu os aflitos, ressuscitou os mortos, alimentou os famintos,pregou as suas doutrinas e escolheu amigos para caminhar ao seu lado.

Hoje, quase dois mil anos depois, o projeto de Jesus continua presente na história da humanidade, pois ele após a sua morte ressuscitou e se reuniu com os discípulos para selar a promessa da vinda do Espírito Santo.E assim o discipulado continuou a missão do Messias. Em seguida as escrituras apontam as ações concretas dos seus seguidores que foram seus apóstolos, eles se apresentaram na sociedade como destemidos e corajosos, depois da ascensão de Jesus, além de pregarem a sua palavra, eles também curaram e libertaram muitos das opressões e dos sofrimentos humanos.

Segundo os cristãos o momento da ascensão de Jesus é mais do que uma oportunidade de erguer os olhos para o céu e caminhar com esperança, com fé e confiança. Logo, para superar as dificuldades da vida terrena, os católicos vivenciam esse momento com alegria e satisfação, pois para estes é mais importante à vida concedida peloEspírito Santo, nesseas forças do homem são renovadas e edificadas para a continuidade de sua existência neste mundo marcado pela dor e sofrimentoprovocado pelo egoísmo da humanidade. Com a ascensão de Jesus os cristãos acreditam que a graça foi derramada sobre toda a humanidade e as portas do céu foramabertas sem reservas.

O Espírito é a maior graça derramada sobre os seguidores de cristo, pois é através dele que suas vidas são transformadas. Dessa maneira, o fiel encontra um novo sentido para a sua existência, deixando atrás a vida do Adão velho, no qual as pessoas fincaram raízes profundas e influenciadoras da maldade e perversão. O comportamento do velho Adão está presente a todo tempo na vida dos cristãos, bem como egoísmo, sentimentos de inveja, ganância, ciúmes, de ira, avareza, luxuria, vingança, gula e entre outros. Por isso, o homem com essa inclinação a tamanha maldade sente a necessidade de buscar no Espírito Santo forças de superação perante as maldades e as fraquezas da carne.Como devemos renovar as forças diante do dramático da vida?  Tendo dramas como, a morte, o abandono, as perdas, as traições, a violência intrafamiliar, alcoolismo, desemprego, falta de oportunidade, dependência química e etc. Os cristãos afirmam que depois de fazerem suas experiências com o Cristo ressuscitado suas vidas foram transformadas e passaram a ter um novo sentido para existir. Desse modo, é possível amenizar os problemas e as dificuldades.

O convite do Papa Francisco aos Cristãos

O papa Francisco convida os cristãos a olharem para o céu como sinal de esperança, pois aquele Cristo que subiu, enviou do alto o seu Espírito afirmando a sua permanência no meio dos homens. Ele chama a atenção do povo de Jesus para três dimensões da vida em Cristo:

O primeiro é a memória. Jesus ressuscitado diz aos discípulos que o precedam na Galileia: este foi o primeiro encontro com o Senhor. E “cada um de nós tem a sua própria Galileia”, aquele lugar aonde Jesus se manifestou pela primeira vez, o conhecemos e “tivemos a alegria e o entusiasmo de segui-lo”. Para ser um bom cristão, precisamos sempre nos lembrar do primeiro encontro com Jesus ou dos seguintes”. Esta é “a graça da memória”, que “no momento da provação, me dá a certeza”.
O segundo ponto de referência é a oração. Quando Jesus sobe ao Céu, ele não se separa de nós: “fisicamente sim, mas fica sempre ligado, para interceder por nós. Mostra ao Pai as chagas,o preço que pagou por nós epela nossa salvação”. Assim, “devemos pedir a graça de contemplar o Céu, a graça da oração, a relação com Jesus na oração que neste momento nos ouve, está conosco”: Enfim, o terceiro: o mundo. Antes de ir, Jesus diz aos discípulos: ‘Ide mundo afora e façam discípulos’. Ide. O lugar dos cristãos é o mundo no qual anunciar a Palavra de Jesus,para dizer que fomos salvos, que Ele veio para nos dar a graça, para nos levar com Ele diante do Pai”.
Esta é – observou Francisco – a “topografia do espírito cristão”, os três lugares de referência de nossa vida: a memória, a oração e a missão; e as três palavras de nosso caminho: Galileia, Céu e Mundo

.

Com esses três conselhos os cristãos devem fazer o sacrifício de seguir o projeto de cristo, abominando toda maldade e perversão aos seus semelhantes, sendo solidários com seu próximo, deixando o preconceito, não extorquir a natureza com o objetivo de acumular riquezas como fazem os pagãos. Defender uma política inclusiva que luta por uma sociedade para a maioria e não para pouco, não fazer apologia à violência e ao crime, não fomentar o consumismo desenfreado, promover a paz dentro da sua família e no trabalho e assim respeitar as outras religiões.

A vocação é mais que o chamado Deus para a pratica do bem, por isso ao devemos responder com alegria e satisfação, assim como Monsenhor Ionilton Lisboa, que tem dado o seu sim ao Senhor servindo aos mais pobres e defendendo a justiça e paz entre os homens.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

Desafios do namoro na sociedade moderna

30 de jun de 2017 às 16:56 | em: Gilma Reis

“O amor é uma flor delicada, que quando cuidada, com carinho e paciência,  fica linda e admirada por todos e pode ser colhida no auge de seu esplendor”.

Tiago Statute

     A sociedade pós moderna vive a cada dia com pessoas que aceitam passivamente a solidão como uma inevitável companheira, e passam a viverem sozinhas, muitas permanecem em relacionamentos frustrantes, totalmente sem esperança de serem felizes, como também escolhem não viver com alguém. Mas em vez de nos decepcionarmos tanto com o amor, que tal nos importarmos com os sentimentos pelos quais nos incomodam e passemos a nos questionar a respeito da nossa forma de amar e sobre as idéias que temos? Em tempos de muitas mudanças radicais no mundo, precisamos ter a coragem e a criatividade para novamente valorizar o sentimento do amor e construir maneiras diferentes e saudáveis as nossas relações amorosas, pois o amor continua o mesmo, não mudou de lugar e nem a sua essência, contudo, para vivenciarmos uma relação a dois precisa de dedicação, cuidados e sacrifícios, mesmo em meio a uma vida agitada que nós encontramos na nova sociedade.

O mundo atual nos incentiva a buscarmos as facilidades e o efêmero em tudo, inclusive nos relacionamentos amorosos, muitas pessoas têm a ilusão de que vão encontrar tudo pronto e, quando percebem que terão de dedicar uma parte do seu tempo ao outro, dando carinho e atenção, simplesmente querem jogar fora essa relação como um objeto descartável e se privam dessa oportunidade para o amadurecimento. Através das frustrações e do dividir-se com o outro o prazer também acontece na dor e no sacrifício, embora que os valores apresentados pelo mundo moderno tenham cada vez mais nos iludido a respeito da essência de uma relação afetiva e amorosa. Pois, o sentimento do amor é eterno e maravilhoso e nele existe a grande capacidade de realizar as mais importantes transformações em um ser humano para a sua auto-realização.

“Eu gosto de você e gosto de ficar com você/ Meu riso é tão feliz contigo o meu melhor amigo é o meu amor…”
Tribalhistas


O amor pode nos transformar!

    O amor está cada vez mais demodê por isso, é fundamental enfrentar os desafios para alcançar as metas e objetivos, somente através do esforço conseguiremos o que de fato desejamos. Ninguém chegará a lugar nem um sem antes se colocar disposto a realizar alguma tarefa por menor que esta seja. O primeiro passo para que os relacionamentos darem certo, é não privar-se da oportunidade do amadurecimento e do crescimento pessoal, isso faz uma grande diferença. Esse processo acontece através do relacionar-se consigo mesmo e com os outros, nesse caso, buscar o auto-conhecimento é fundamental, me conhecer e conhecer a minha historia para que eu tenha a clareza dos meus limites e possibilidades, pode ajudar muito, afinal ninguém esta pronto, as mudanças acontecem através de um processo de construção na busca do conhecer a mim e ao outro.

Os maiores problemas que acontecem entre os casais de namorado ou casais casados, geralmente vem de ordem familiar, pois herdamos tudo da nossa família, traumas, valores, doenças, maus costumes e caráter e assim por diante, é claro herdamos também as coisas boas. Mas quando começamos um relacionamento a dois os sentimento e pensamentos começam a emergir; tipo ciúmes, inveja, discórdia, desejo de controle do outro, possessividade, medo de perder, insegurança, xingamentos, manias, crenças, entre outros. Esse comportamento nada mais é o conteúdo que adquirirmos na infância e adolescência e que agora passam a influenciar na nossa relação a dois. São costumes advindos do meio familiar, da personalidade e da cultura. É claro que assim como trazemos os conteúdos que nos prejudicam, também trazemos os positivos para dentro da relação a dois.

Nesse caso, não basta amar para da certo, é preciso uma intervenção terapêutica com um profissional, a busca por grupos de casais, entre outros. Se agente não procurar se conhecer e conhecer um pouco da historia do outro, possivelmente os relacionamentos não venham a frutificar e permanecer em nenhuma situação. Pois as feridas emocionais, os traumas, as carências e as faltas advindas da infância, estas falarão mais alto e não deixarão que a vida a dois se concretude. Principalmente na sociedade moderna em que o sacrifício e a dor são negados. Outra coisa importante é que cada um antes de entrar numa relação amorosa, tenha já definido seus projetos de vida, planos, afinal ninguém vai dá felicidade a ninguém! As mãos vazias é sinal de uma pessoa sem metas e objetivo, e quem não tem o que fazer, vai ficar enchendo o saco dos outros, nessa condição, a relação já está com os dias contados para terminar.

O que temos para oferecer ao outro é a nossa contribuição para que o outro possa realizar seus sonhos e se for partir para o casamento compartilhar juntos de suas alegria. Assim podemos encontrar uma forma de plenitude no amor, mesmo em meios as mudanças no relacionar-se a dois, as mudanças são tantas nos dias atuais que foi necessário encontrarmos novas maneira de dinamizar o viver juntos. Os adolescentes inventaram o ficar, já os adultos criaram a amizade colorida, os internautas namoram online, todas essas mudanças vêm da sociedade capitalista e consumista.

Vivendo o processo de enamoramento

     O enamoramento é um estado emocional em que sentimos alegria e satisfação por encontrarmos outra pessoa que seja capaz de nos compreender e de partilhar a sua vida com conosco. É um fenômeno bioquímico passando pela região do córtex cerebral, o enamoramento faz a pessoa ficar apaixonada, gostar de alguém de maneira encantadora e entusiasmada. Esse fenômeno é compreendido como uma ação e/ou efeito de enamorar e enamorar-se, embora não seja fácil fazer essa definição, pois o verbo enamorar diz respeito, ao ato de suscitar e de provocar em alguém uma forte paixão que pode transformar em amor.

É um sentimento que deixa a pessoa completamente enlouquecida, a ponto de enfeitiçar-se cegamente sem fazer o uso da razão. Nesse sentido, desperta no sujeito um desejo por esse “objeto” que é capaz de provocar uma sensação de prazer incontrolável, gerando o anseio na busca de o adquirir incansavelmente. Alguns dicionários vão definir a palavra enamorar com a condição de estar “apaixonado, alucinado, enamorado, exaltado, gostado, encantado, arrebatado, cativado, deslumbrado, enfeitiçado, extasiado, fascinado, hipnotizado, inebriado, maravilhado, atraído, conquistado, cortejado” entre outros. Assim como o cantor e compositor Chico Cesar diz:

E Aqui Dentro De Mim Você Demora
Já Tornou-se Parte Mesmo Do Meu Ser
E Agora, Em Qualquer Parte, A Qualquer Hora
Quando Eu Fecho Os Olhos, Vejo Só Você

     A pessoa movida por este sentimento vive uma profunda sublimação, uma ascensão rumo à felicidade, como a sensação de bem estar. E esse sentimento muda completamente o rumo das nossas emoções, que são muito positivas. Ao sermos invadidos por uma alegria profunda, sentimento completude e de aceitação do outro em relação a minha pessoa, reafirmando que estamos vivos, pode nos levar a esperança e superação de traumas e frustrações que nos impedem de experimentarmos a felicidade.

Ainda lembro-me quando fiz o meu primeiro encontro com a pessoa de Jesus Cristo, eu era ainda adolescente e vivia minhas frustrações e conflitos como qualquer jovem, qualquer adolescente vive. Foi num seminário de vida no Espírito que tudo aconteceu, eu me sentia vazia e um pouco sozinha, achava que ninguém me entendia, mas quando experimentei o “amor de Deus”, nossa, parecia que o véu tinha se rasgado ao meio, comecei a sentir uma profunda alegria e paz que nunca tinha vivido antes, me sentir enamorada por Deus e também me apaixonei por Ele. E essa experiência me marcou pro resto da vida, e tudo passou a ter sentindo, inclusive os meus relacionamentos afetivos “namoros, família e amigos”. (Gilma Almeida)

É importante entendermos que, no enamoramento deve existir a reciprocidade para que essa sensação de completude aconteça, pois é o enamoramento e o enamorar-se, eu dou e recebo. Aqui podemos afirmar que o enamora mento é a base para a construção de um namoro mais saudável e mais feliz.

‘Às vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas… O tempo passa… E descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!’

                                                                                                                                           Bob Marley

O namoro oportuniza um encontro consigo e com o outro

     A sociedade define o conceito de namoro: relação afetiva mantida entre duas pessoas que se unem pelo desejo de estarem juntas e partilharem suas vidas, nessa relação o casal está comprometido socialmente, mas sem estabelecer um vínculo matrimonial perante as instituições. O namoro implica numa condição de estado de comprometimento entre duas pessoas, a qual assume o outro diante de si e da sociedade. Quando duas pessoas têm uma relação amorosa que ainda não são casadas, afirma-se que são namorados. No entanto, essa relação deve ter objetivo definido entre o casal, ainda que não seja o de casar-se, mas de oportunizar-se através do respeito, o conhecer-se mutuamente para o amadurecimento emocional e psicológico.

O termo namoro também pode refere-se, ao tempo de duração da relação, como um estado transitório de longo ou curto prazo, em que a relação pode acabar ou oficializar através do noivado e chegar ao casamento. Mas, se o namoro não chegou a um casamento, não significa que a relação não deu certo. Pois, o mais importante na relação é concluir o seu objetivo. Nesse caso, é importante que o fim do relacionamento seja tranqüilo e que haja maturidade, nem todo namoro é pra casar, assim, evitaremos a violência entre os gêneros, como as mágoas, os ressentimentos e/ou homicídios e suicídios. Portanto, buscar um olhar diferenciado para o fim dos relacionamentos é fundamental, o dialogo verdadeiro pode nos favorecer uma reflexão sobre nós e o outro, tirando proveito das coisas boas e ruis e deixando cada um continuar vivendo e escrevendo a sua historia.

“Se Deus criou as pessoas para amar, e as coisas para cuidar. Por que amamos as coisas e usamos as pessoas?”

                                                                                                                                                                                   Bob Marley
Por Gilma Reis
Psicóloga e especialista em Família

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.

IV Edição do Projeto Semana de Saúde Mental em Araci dia 15 a 20 de maio

14 de maio de 2017 às 10:16 | em: Gilma Reis

O Projeto Semana de Saúde Mental é uma proposta dos profissionais da área de psicologia da cidade de Araci que tem o intuito de dialogar com a comunidade sobre os transtornos mentais, sendo necessário trabalhar a prevenção e o tratamento. O projeto ainda visa despertar na comunidade o valor dos profissionais existentes na mesma. Dessa maneia, algumas ações vão ser desenvolvidas como: rodas de conversa, debates, orientações psicológicas, encontros com os jovens e entre outros. As atividades serão realizadas nos seguintes espaços: escolas públicas e privadas, Coletivos de Jovens, Núcleo de Educação Especial, Secretaria de Educação, Câmara Municipal, Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar, FETRAF e Centro Paroquial ( Igreja Católica).
Atualmente nos deparamos com crescente número de pessoas adoecendo na sociedade e com diversos tipos de transtornos, entre eles se destacam com mais intensidade, a ansiedade e a depressão, que têm levado muitos a suicídio, sendo essa a segunda causa de morte na sociedade. Os dados apresentados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) são preocupantes, e isso, é mais que um sinal de alerta para as famílias e a sociedade. O transtorno depressivo tem afetado de modo especial crianças e adolescentes.
O sociólogo Zygmunt Bauman afirma que vivemos em um “tempo líquido”, pois tudo escorre pelos dedos, nada é para persistir, as relações não permanecem verdadeiramente, tudo se torna transitório e instantâneo. Os momentos são curtidos, fotografados, mostrados e as pessoas se tornaram consumistas. Desse modo, quando no desejo habita a ansiedade, tudo fica por conta do aceleramento emocional e psíquico, assim a saúde certamente será afetada. A sociedade hoje está marcada pela ansiedade, visto que nada se experimenta com profundidade, raiz e comprometimento. Como menciona Lacan, “o prazer é esperar”! Na contemporaneidade, essa frase parece não se adequar, uma vez que tudo é muito efêmero e sem aprofundamento. Logo, Bauman contextualiza ao dizer que “estamos todos numa solidão e multidão ao mesmo tempo”.

Compreendendo o que é tristeza e o que é depressão!?

O sentimento de tristeza é normal e natural no ser humano, ela pode ser passageira e transitória. Todos nós passamos por esse tipo de sentimento, sempre que algo negativo acontece conosco.  Podemos sentir tristeza quando, perdemos o trabalho, a perda de um vestibular, uma resposta negativa no emprego, a morte de um parente, o fim de um namoro ou casamento. Nesses casos, não quer dizer que a pessoa esteja depressiva, é um sentimento extremamente natural e tudo vai passar. Enquanto que a depressão é uma tristeza persistente e sem motivo aparente, sendo uma dor duradoura, onde o paciente não consegue se lembrar da razão de tal angústia. O estado depressivo possui sintomas mais intensos: insônia ou sono excessivo, perda de energia, irritação, alteração do apetite, perda da libido e falta de estímulo para fazer as atividades diárias. Logo, o sujeito fica isolado, sem querer se alimentar.  Em casos mais profundos de depressão, o individuo pode sentir vontade de tirar a própria vida. Quando esse transtorno se manifesta em qualquer pessoa a família deve interferir, bem como, os amigos e a própria pessoa precisam buscar o tratamento. Vale lembrar que nem todo paciente terá os mesmos sintomas, com a mesma intensidade, por isso, é importante procurar um profissional capacitado para melhor assisti-lo.

Quem pode ter depressão?

Todos nos estamos sujeitos a ter depressão, pois ela pode aparecer em qualquer pessoa independente de classe social, sexo ou idade. Ela pode aparecer inclusive em crianças e se estender até a Terceira Idade. Segundo a Organização Mundial da Saúde, estima-se que 350 milhões de pessoas sofrem com esse tipo de transtorno. Na América Latina o Brasil tem o maior índice de indivíduos depressivos, sendo cerca de 5,8%  de brasileiros atingidos. A depressão torna a pessoa disfuncional e o ser humano fica mais vulnerável querendo o suicídio como de se livrar dos conflitos internos.

O que leva uma pessoa ao suicídio? 

O sujeito que apresenta um quadro suicida, geralmente costuma verbalizar antes de praticar o ato. Por tanto, é importante ficar atento as expressões desses indivíduos. Dentre os sinais indicados pela pessoa suicida temos: a comunicação previa que irá se matar, mensagens através de cartas, ignora a ajuda, costuma consumir drogas, afirma em declarações que deseja a morte, etc. É preciso ficar atento a esses comportamentos, pois nem sempre uma pessoa que externa algo relacionado à morte é um suicida. Os dados epidemiológicos mundiais indicam serem os comportamentos suicidas um problema relevante de saúde pública.

Quais são as principais causa do suicídio?

Os motivos pelos quais levam uma pessoa a desejar sumir ou desaparecer deste mundo são muitos, no entanto alguns se pontuam mais precisos como: Transtorno mental, Desilusões amorosas, Dívidas, Desemprego, Depressão grave, Melancolia, Fatores biológicos e genéticos, Esquizofrenia, Alcoolismo, Desequilíbrio emocional e etc. Para Émile Durkheim, a causa do suicídio só pode ser sociológica. Ela em seu estudo caracterizou três tipos de suicidas: suicida egoísta, no qual a pessoa se mata para não sofrer mais; o suicida altruísta, nesse a pessoa se mata para não dar trabalho aos outros (geralmente pessoas de idade) e o suicida anômico,onde a pessoa se mata por causa dos desequilíbrios de ordem econômica e social. No período da Revolução Industrial, muitos empregos foram tirados, esse contexto, estimulou os desempregados ao suicídio”. Nesse sentindo, podemos perceber que o suicídio não está ligado a uma única causa, mais a vários fatores de ordem social e biológicos. A Organização Mundial de Saúde estima que, em 2020, aproximadamente 1,53 milhões de pessoas no mundo poderão cometer esse ato, pois a cada 20 segundos surge uma nova tentativa de suicídio, isso significa que os números indicam que morrem mais pessoas pelo suicídio do que em todos os conflitos armados.

Como buscar o Tratamento pra a depressão e demais transtornos?

O sujeito diagnosticado com esses sintomas deve buscar a psicoterapia juntamente com o tratamento medicamentoso psiquiátrico. Quando a causa da depressão está relacionada a conflitos pessoais, interpessoais, ou quando o sujeito tem dificuldades em lidar com os problemas da vida, a psicoterapia pode ser um excelente instrumento para amenizar os sintomas. Logo, podemos afirmar que quem busca um tratamento junto a um psicólogo, não é doido, mas alguém que deseja melhorar cada vez mais os seus relacionamentos e a sua saúde mental. Nesse caso, nem todo depressivo precisará ser tratado por medicamento Além da busca pelo tratamento psicoterapêutico e psiquiátrico ou psicanalítico, o sujeito pode se ajudar mudando seus hábitos de vida. Pode fazer caminhada, se inserir em grupo social ou religioso, praticar esporte, cantar, dançar, ler, viajar, meditar, orar, prestar atos solidários em asilos, creches, grupos de jovens entre outros.
O projeto esse ano traz um tema muito importante para nos ajudar a refletir sobre o nosso jeito de levar a vida. A temática é:

Em busca de um sentido para a vida: Resiliência”.

Esse ano teremos como convidado especial o psiquiatra, Dr. Markus Vinicius Borges dos Santos, que estará palestrando para toda a comunidade no dia 17 do corrente mês no Centro Paroquial a partir das 19: h. Nesse sentido, gostaríamos em nome de todas as psicólogas de Araci-Ba, Convidar a toda comunidade para acompanhar a nossa programação.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.