Sincretismo religioso une devotos de Santa Bárbara e Iansã na Bahia

05 de dez de 2017 às 10:58 | em: Santa Bárbara

Foto: Reprodução

Com um missa celebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Feira de Santana, Dom Zanoni Demettino na parte da manhã e uma procissão bem movimenta à tarde, devotos de Santa Barbara comemoram a padroeira da cidade que tem seu nome, Santa Bárbara, localizado no território portal do sertão. Com o tema “A partilha do Cristão é garantia da Missão”, a santa começou a ser homenageada no dia 12 de novembro com uma carreata que anunciou o inicio dos festejos, seguido de uma cavalgada e no dia 25 de novembro, e uma caminhada penitencial abria oficialmente o novenário em louvor a santa, que na Umbanda é chamada de Iansã, deusa dos raios, ventos e tempestades e para os católicos, também é protetora contra raios, tempestades e trovões. Antes do inicio da missa, um grupo de membros da umbanda, sob a liderança da mãe de santo do terreiro Cosme e Damião, localizado as margens da BR 324, repetiram o ato que já fazem há décadas, ou seja, passar pelo centro da igreja, em direção ao altar principal, como forma de homenagear a santa. Na liturgia da umbanda, Iansã é senhora dos eguns, os espíritos dos mortos, menos cultuados no candomblé. A guia de Iansã é de cor laranja (coral) e, no candomblé, é vermelha, mas podendo ser utilizado a guia de cor vermelha na umbanda e no candomblé, também é chamada de Oyá.  Mantendo a tradição, Dona Nicinha foi vestida de vermelho. Santa Bárbara é o único município da Diocese de Feira que reverencia a Santa. Padres de diversas paróquias concelebram a missa. Um dos pontos marcante do ato religiosos foi à chegada da imagem, momento que aconteceu no meio da celebração, arrancando aplausos e lágrimas do público presente.

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.