Jacobina: MP recomenda plano de emergência e simulado com funcionários e população

29 de jan de 2019 às 09:07 | em: Jacobina

Foto: Reprodução

Após o alerta provocado pela tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, será intensificado o monitoramento das barragens de rejeitos existentes no estado baiano, segundo a Agência Nacional de Mineração na Bahia (ANM). Até esta segunda-feira (28), 60 mortes foram contabilizadas e, ao menos, 292 pessoas estão desaparecidas, na cidade mineira. O estado, tem um pequeno número de barragens de rejeitos, em relação a Minas Gerais. Ao todo, são 14, entre elas, as que têm mais alto potencial de dano estão em Jacobina (duas), Santaluz (uma) e Itagibá (uma). A intensificação do monitoramento das unidades é uma medida preventiva. Em Jacobina, no Centro-Norte Baiano, as atividades da Jacobina Mineração e Comércio Ltda., controlada pela multinacional canadense Yamana Gold Inc, têm sido constantemente fiscalizadas pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), através da Promotoria de Justiça especializada em meio ambiente de âmbito regional, representada pelo promotor Pablo Almeida. Na cidade, estão duas barragens de rejeitos de mineração, uma ao lado da outra, denominadas de BI e BII, a primeira em processo de fechamento e a segunda em atividade. A B1 foi utilizada de 1982 a 2012, sendo que o processo de fechamento vem se desenvolvendo desde então, sem novas disposições de rejeitos. Na última terça-feira (22), elas foram inspecionadas pela equipe técnica da Central de Apoio Técnico do Ministério Público da Bahia (Ceat), no bojo de inquérito civil em tramitação. Para elas, o MP recomenda plano de emergência e simulado com funcionários e população

Como você se sentiu com este conteúdo?
Curti
Curti Amei Feliz Surpreso Triste Raiva

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.