Opinião: Prefeitura de Araci negligencia perigo de rompimento do Poço Grande ao consultar apenas DNOCS; Artigo de Felipe Sales

05 de fev de 2019 às 23:19 | em: Araci,Felipe Sales

Foto: A Voz do Campo

A Prefeitura Municipal de Araci foi surpreendida (relembre) com o Relatório de Segurança de Barragens – RSB, da Agência Nacional de Águas (ANA), que diz que o açude de Poço Grande tem rachaduras no seu coroamento, classificados como perigo 2. A barragem está em estado de alerta. Este é o maior nível de risco para o relatório. O Poço Grande tem o maior risco de rompimento entre as barragens da Bahia. A informação foi descoberta e divulgada pelo site A Voz do Campo, após o rompimento da Barragem de Brumadinho, em Minas Gerais. O prefeito, Silva Neto, para dar uma resposta à sociedade, foi ao Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS).

Visita ao Dnocs | Foto: Divulgação | Ascom Alex da Piatã

Ele ouviu que o relatório era uma surpresa para a Empresa e que o perigo não era iminente. Silva Neto tentou tranquilizar a população (relembre). Num quadro comparativo, essa visita do prefeito de Araci ao DNOCS é a mesma coisa que o prefeito de Brumadinho, antes do rompimento da barragem, ter sentado com a Vale para saber sobre os riscos da barragem. A Vale e o DNOCS são as responsáveis pelas suas barragens. Obviamente, as empresas apresentariam informações que apontam para segurança em suas barragens. Ele visitou o açude com técnicos da Empresa e novamente tentou tranquilizar a população (ver aqui). Em termos práticos, o prefeito de Araci fez a visita menos indicada para o momento. O relatório que aponta riscos para o Poço Grande foi produzido pelos maiores e mais isentos especialistas no assunto na Bahia. Esse relatório (ver o relatório aqui) foi atestado e aprovado pelos maiores especialistas do Brasil. A Prefeitura Municipal de Araci, para evitar conflito de interesses, deveria ter sentado com o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e com a Agência Nacional de Águas (ANA). Eles quem fizeram o relatório. Não com o DNOCS (por mais capacitados que sejam os profissionais).

Visita ao Poço Grande com o Dnocs | Foto: Divulgação | PMA

A visita a esses órgãos é aberta a gestores municipais. O prefeito teria ouvido os parâmetros para a classificação de risco no Poço Grande. As dúvidas teriam sido dirimidas e as tomadas de decisão seriam embasadas através das informações de quem as detém com segurança técnica. O real perigo do Poço Grande estaria sendo discutido com quem tem a função de apontá-lo e solucioná-lo. Ainda há tempo de a Prefeitura Municipal de Araci visitar quem realmente tem embasamento técnico e para o qual não há conflito de interesse: a ANA e o INEMA, ambos órgãos de gestão ambiental. As informações seriam mais seguras.

Artigo opinativo escrito por:
Felipe S. Sales
Gestor Ambiental – CRN-Bio Consultoria Ambiental

Como você se sentiu com este conteúdo?
Curti
Curti Amei Feliz Surpreso Triste Raiva

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.