Ariadne Pinho recebe o título de cidadã araciense após prestar relevantes serviços a Araci

05 de dez de 2018 às 14:36 | em: Araci

Foto: Arquivo Pessoal

Ariadne Maria Pinho e Albuquerque, nasceu no dia 06 de outubro de 1963 na cidade Salvador e viveu sua infância até adolescência em Maragogipe. Recebeu o nome de Ariadne Maria em homenagem as suas avós (Ariadina, mãe de seu pai e Maria mãe de minha mãe) sua mãe Anavalda Pinho e Albuquerque, professora, seu Pai Manoel de Melo e Albuquerque (in memoriam), dentista. Seus pais casaram na Capelinha da cidade de Araci, mas foram morar em Maragogipe-Ba, terra natal de seu pai. Mas sempre visitavam seus familiares em Araci geralmente duas vezes ao ano, Ariadne foi a primeira neta e sobrinha da família de João e Maria Pinho, depois vieram suas irmãs Ana Cristina, Martha e Manuela. Ariadne gostava muito de vir a Araci nas férias de junho em São João e 8 de dezembro, recorda-se muito das segundas-feiras quando ouvia os ruídos dos carros de boi, as cantorias nos autofalantes que ficavam presos nos postes, ela sempre achou Araci uma cidade muito alegre e receptiva.

Foto: Arquivo Pessoal

Os anos se passaram e seus sonhos começaram a surgir em ir estudar em Salvador para fazer uma faculdade, seus pais com muito sacrifício realizaram esse sonho, compraram um apartamento em Salvador, matricularam ela no cursinho Nobre do professor José Nilton, o mesmo não cobrou as mensalidades e os módulos pelo fato de sua mãe ter sido sua professora no primário e por ter muita consideração a ela. Passou no curso de Letras Vernáculas com Português e Literatura da universidade Católica da Bahia , deu início aos seus estudos  e foi fazer o que sempre sonhou,  ser professora para adquirir experiência e ganhar seu dinheirinho, pois o seu maior sonho era ter sua própria escola, tinha um exemplo de sua mãe que além de ser professora, era proprietária de uma escola . Na sua fase da adolescência ia ajudar em tudo dentro da escola,  pintar carteiras, mesas, fazia os cartazes de leitura  , tomava lição dos alunos, em fim ajudava em tudo e isso a fez sonhar com sua própria escola. A vontade era fundar a escola em Salvador, mas precisava de muito dinheiro, daí pensou que teria de voltar para Maragogipe ajudar sua mãe. Quando conheceu Robston Luiz Torres Silva (in memoriam) conhecido por (Tom) em salvador, ela não sabia que ele era filho de Sr. Zelis primo de sua mãe e irmão de Nenca, que é casada com seu tio Edivaldo Pinho. Depois de 2 anos de namoro ficaram noivos em janeiro de 1987, mas em março descobriu que estava gravida, onde teve uma gravidez muito difícil, seus pais tiveram que correr para arrumar o casamento que aconteceu no dia 6 de junho de 1987.

Foto: Arquivo Pessoal

Depois do nascimento de sua filha Camila, retornou seus estudos na faculdade, foi muito difícil na época, porque teve que estudar a noite, pois sua filha era muito bebê. Quando Camila completou um ano conseguiram comprar um apartamento , quando tudo parecia estar perfeito , Tom perdeu o emprego e resolveram que iriam morar em Araci, mas Ariadne não podia ir com ele,  precisava terminar sua faculdade , então alugaram o apartamento para ajudar nas despesas,  e tiveram que fazer algo doloroso, Ariadne levou sua filha para morar com meus pais durante um ano em Maragojipe , ela tinha 1 ano de idade, foi um sofrimento para Ariadne e Tom, uma decisão muito difícil, mas tinha que fazer isso pelo bem da sua família, foi muito sofrimento, viajava toda semana para ver sua filha em Maragojipe e Tom ia de 15 em 15 para se encontrar com Ariadne e Camila, nesse período planejou toda a escola do seu sonho com ajuda de sua mãe, que deu todo suporte. Quando Camila completou 2 anos resolveu se mudar para Araci e levar ela no dia 01 de dezembro de 1989 para montar sua escola e juntar a sua família. Como só faltava uma disciplina para se formar tomou essa decisão. Recebeu todo apoio de seus pais , familiares, D. Edna e Sr. Zeles que desocuparam uma garagem vizinha da sua casa para montar a escola e Tom que sempre lhe deu força e apostou todo seu dinheirinho para ajudar na fundação da escola. Na época convidou Josinete, conhecida como Nete, esposa de Clarkson , conhecido como Cacá que era irmão de Tom, para ser sua socia , Nete foi uma das pessoas que a recebeu em Araci e que deu muito apoio nos momentos difíceis e alegres.

Foto: Arquivo Pessoal

Em dezembro foram de porta em porta onde tinha criança para convidar e apresentar sua proposta educacional, muitas pessoas na época deram o voto de confiança. No dia 06 de março de 1990 iniciaram a Escola Lápis de Cor da educação infantil até a 4ª série do E.F., Ariadne  alfabetizava as crianças e Nete era professora do Jardim II ,contudo toda quinta-feira viajava para salvador e retornava na madrugada da sexta-feira  para não ficar mais de um dia fora de casa, essas viagens foram difíceis, até assedio ela sofreu dentro do ônibus ao retornar para Araci, mas isso não a impediu de continuar. Nunca perdeu a esperança que um dia iria conseguir crescer com sua escola que tanto sonhou. Chegou o dia da formatura, pena que seu avô João Pinho faleceu na mesma semana da formatura. Um ano depois, surgiu outra gravidez, em abril de 1991 Felipe nasceu para alegria da família que só tinha mulheres. Em 1998 passou no concurso público do Estado da Bahia e as coisas começaram a melhorar mais ainda em sua vida.

Foto: Arquivo Pessoal

Mas em 12 de abril de 2001 sua vida tomou outro rumo com a morte de Tom, uma grande fatalidade que marcou sua vida, o mundo parou para ela, foi desesperador, ela pensou …. sua vida acabou, tudo foi em vão, pensou que iria embora e deixar tudo que construiu pra trás com dois filhos aos 37 anos de idade. Mas sua família foi tudo nesse momento, deram o maior apoio, seu pais só foram embora quando perceberam que ela podia andar mais uma vez sozinha, administrar uma escola, a família e a empresa de gás que era de Tom. Deus e sua família lhes deram muita força. Seus filhos tinham 14 anos (Camila) e Felipe 10 anos. Passaram-se os anos e ela ali fazendo de tudo pela educação de seus filhos, porque tinha prometido a Tom que venceria e que seus filhos nunca poderiam falar que não conseguiu ser alguém porque não tinham pai, apesar de seu pai ter contribuído muito na falta de Tom.Um dia ela pensou que merecia ter alguém para dividir suas alegrias, angustias, seus medos, realizações em fim ter um companheiro. Ela conversou com Deus e pediu muito que ele colocasse alguém na sua vida que tirasse essa tristeza do seu coração e lhe fizesse feliz. depois de algumas tentativas, pensou em desistir e quando menos ela esperava, ele apareceu, seu anjo, Paulo Henrique que foi enviado por Deus, ele morava em salvador e trabalhava no CREA (concursado) que largou tudo, até um emprego federal pra ficar ela, que na época sofria com a doença de seu pai. Anos depois, infelizmente seu pai faleceu, mais uma perda e sofrimento, mas Deus lhe deu muita força e conseguiu supera, essa união só lhe tornou mais forte, juntos ampliaram a escola Lápis de Cor para Colégio Olimpos com o fundamental 2 e Ensino médio, realizando por completo seu sonho de uma escola da educação infantil ao E.Médio, além  da Formatura de sua filha Camila e depois de seu filho Felipe. Graças a Deus ela conseguiu realizar seus maiores sonhos: Montar sua escola completa, hoje com 28 anos de trabalho educacional nessa cidade…… quantos alunos, professores e funcionários passaram por essa escola!!!!! E ver seus filhos formados e encaminhados na vida (Camila fez o curso de direito, hoje concursada federal TRT Cuiabá e Felipe Médico, hoje terminando residência em SP em cirurgia geral) e alegria de família com seus sobrinhos ( Mariana, Sophia , Bernardo e com sua neta Valentina , hoje com 5 anos de idade)

Clique aqui para seguir nossa página no Facebook.